16 de mar de 2008

Aconteceu assim com ele...


Felipe Campos, começou a ser ator aos 10 anos depois de um convite do primo, aos 19 anos ele já tem mais de 15 peças no currículo





Fernanda Soares

Dono de casa, ator, palhaço, soldado, menino/homem, irmão, tio, cunhado, filho e afilhado, fotógrafo... Hoje um jovem rapaz que era uma criança muito tímida e com poucos relacionamentos, está se tornando um homem de responsabilidades e muitos amigos, alguns inclusive conhecidos pela internet. Essas são algumas características e qualidades de Felipe Campos Ferreira ou simplesmente, Keyscara, apelido que recebeu dos colegas do teatro.


Aos 10 anos a maior preocupação dele era sua preocupação era ir para a escola e sonhar em ser astronauta e conhecer Plutão e passar muito tempo em frente a um vídeo game ou cuidar da casa enquanto os irmãos e os pais trabalhavam.. Felipe Campos, como é conhecido no meio artístico, começou a atuar por convite de seu primo Clisthenis, conhecido como Chris, aos 10 anos.


Na sua primeira peça “O Casamento do Sapo Inácio” interpretou um menino que não gostava de ler e só jogava vídeo game, de uma hora para outra o menino tem sua vida transformada quando acha um livro mágico no sótão do avô e precisa salvar uma princesa que estava sendo obrigada a casar e beijar um sapo malvado para que este se transformasse em príncipe.


A peça transformou também a vida do Felipe que de uma hora para outra se viu percorrendo Minas Gerais e o interior de São Paulo, que recebeu 15 indicações e 13 prêmios no Festival de Teatro Visconde do Rio Branco. Quando as apresentações terminaram, Felipe já sabia o que queria da vida e começou a correr atrás do próprio sonho fazendo cursos de aperfeiçoamento para criação de personagem, corpo, voz e movimento.


Do ano 2000 até hoje, já subiu ao palco, no teatro ou na rua, em pouco mais de 15 peças, dentre elas: Revoar, Via Sacra, A Lagarta, As beatas, A Dama de Copas e o Rei de Cuba, A vida é uma festa I, II, III e remix. Esta última, atualmente é um programa semanal na TV Poços-MG, e que foi recentemente contratada também por uma televisão do interior de São Paulo.


Na família, nem tudo são flores. O relacionamento com a mãe, Maria Elena, passou por algumas conturbações pois ela não apoiava muito a escolha de profissão do filho, situação hoje que já foi modificada e com o irmão do meio João Paulo, não é um dos melhores também e fica reduzido a quase um cumprimento diário.


Já a relação com o pai, já falecido, e com o irmão mais velho é praticamente um mar de rosas, o pai, seu João, sempre esteve presente e apoiando a vocação do filho. Suas últimas palavras para ele foram: “viva a sua vida filho e não se arrependa de nada e nunca deixe de fazer aquilo que quer”. Com seu irmão mais velho, Tiago Alessandro, é o que podemos chamar de modelo de convívio fraternal. Tiago é padrinho de batismo do Felipe, e Felipe de casamento do irmão que tem um filho chamado Mateus, sobrinho que é luz na vida desse tio mais que coruja.


A confiança mútua é uma constante na vida dos irmãos, o que permite um bom relacionamento também no campo profissional. Eles trabalham juntos na própria produtora cobrindo eventos – formaturas, batizados, casamentos – o que não impede que o Felipe tenha seus próprios projetos pessoais.


Um deles, sonho antigo, é tirar a carteira de motorista, desejo que ele começou a realizar esta semana. No campo profissional o mais importante no momento é o “Concertando histórias”, projeto desenvolvido de acordo com a lei de incentivo a cultura de Poços de Caldas 6363 e que pretende levar música clássica de uma maneira divertida e cativante a crianças da primeira a quarta série do ensino público em Poços de Calda.


Mas nem tudo são flores. Felipe que queria entrar na faculdade de Letras este ano, mas teve que adiar para servir ao exército, um sonho não muito sonhado pela juventude atual no Brasil. Sonho adiado, mas não esquecido.


O sonho precisou ser deixado para um futuro não muito distante por falta de tempo, afinal conciliar peças teatrais, programa semanal na TV local, produtora, aulas de trânsito, exército, comer e dormir, estudar para o vestibular acaba sendo mesmo uma coisa bem difícil.


Seu prato preferido é a lasanha preparada pela mãe. Ele quer se casar antes dos 30 anos e formar uma família sólida. Depois do teatro sua paixão é a fotografia, que ele descobriu quando começou a trabalhar na produtora. Quer filmar alguns filmes e ser o primeiro brasileiro a ganhar um Oscar. Afinal “sonhar nunca é demais”. E os personagens que ele gostaria de fazer são: Danny personagem do John Travolta em Grease, Edward, mãos de tesoura do Johnny Depp, Lucas Scott de Chad Michael Murray em OTH, Qualquer filme do Chaplin e atuar em alguma peça de Shakespeare.


Um comentário:

Déia disse...

esse é o Keys... />